Bulek

CONHEÇA OS NOSSOS SERVIÇOS

A Bulek é um escritório de contabilidade em Ponta Grossa – PR, que prestas serviços de Consultoria Gerencial, Financeira e Tributária, Assessoria
Fisco-Contábil e Departamento Pessoal, Educação e Empreendedorismo, Certificação Digital, Processual e Legalização
.

TODOS OS SERVIÇOS

GESTORES

A nossa equipe é parte fundamental do bom atendimento e da excelência dos serviços e, por isso, valorizamos e investimos em pessoas.

SOBRE OS GESTORES

INFORMAÇÕES EM DESTAQUE

Veja a seguir algumas informações relevantes para a sua empresa

Atualizações Tributárias 2018
SAIBA MAIS
planejamento-tributario
planejamento tributário

Compare a carga tributária no Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional falando com um de nossos analistas.

SAIBA MAIS
simples-nacional
simples nacional

O Simples nacional (também conhecido como Super Simples) é um sistema de tributação simplificado criado para facilitar o pagamento de tributos pelas micro empresas.

SAIBA MAIS
abertura-empresa
Abertura de Empresa

Quer abrir uma empresa? A Bulek oferece toda a acessoria na abertura da sua empresa, desde a escolha do tipo jurídico até a sistemática de tributação, para que a sua empresa economize o máximo de impostos.

SAIBA MAIS
cltpj
Contratação Pessoa Física e Pessoa Jurídica
SAIBA MAIS
custo-contratacao
CUSTOS DO VÍNCULO TRABALHISTA
SAIBA MAIS
analise-balanco
ANÁLISE DE BALANÇO

Realize análise de balanço com a ajuda de nossos consultores e acompanhe o valor da sua empresa.

SAIBA MAIS
NOTÍCIAS
Atualizações Tributárias 2018

O ano de 2017 está em fase final mas as mudanças para 2018 são grandes, não só para a contabilidade mas principalmente para o empresário que terá novas declarações obrigatórias, será obrigado a ter maior controle sobre suas operações financeiras, terá novas formas de cálculo do Simples Nacional e as regras já estão valendo para o inicio do próximo ano.

Infelizmente a maior parte das alterações irão ocasionar aumento de custos para o micro e pequeno empresário, sendo a principal delas o fim da isenção do ISS municipal pois o governo federal cortou o benefício que concedia as prefeituras e tal medida já é valida para inicio de 2018.

A nova declaração acessória é a DME, Declaração de Operações Líquidas com Moedas em Espécie, e afetará todo contribuinte pessoa física ou jurídica que movimentar valores acima de R$ 30 mil reais, devendo apresentar a declaração até o último dia últil do mês subsequente à operação financeira. Tal declaração visa identificar sonegação e lavagem de dinheiro.

Outra alteração é relativa ao Imposto de Renda Pessoa Física, refere-se a obrigação de informar o CPF de dependentes acima de 8 anos de idade já no IRPF 2018. A partir do exercício 2019 o CPF será obrigatório a todos os dependentes, independente da idade.

A DMED, Declaração de Serviços Médicos, já obrigatória desde 2011 antecipou seu prazo de entrega, que era o último dia útil de março, antecipado para 28 de Fevereiro de 2018.

O ITCMD, Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doações de quaisquer bens e direitos, é um tributo de arrecadação dos Estados, e sofrerá reajuste em 2018, porém cada Estado aplicará sua alíquota, assim cabe pesquisar a legislação estadual específica.

O e-Social faz parte do Projeto SPED, Sistema Público de Escrituração Digital, e tem como conceito unificar as informações referente as escriturações fiscais, previdenciárias e trabalhistas, com o objetivo de padronizar a transmissão, validação, armazenamento e distribuição das obrigações trabalhistas. O calendário de implantação já iniciou em outubro de 2015 com as domésticas, mas afetará todas as empresas a partir de Julho de 2018.

Mas a maior mudança ocorrerá no Simples Nacional 2018, que na concepção da maior parte dos contadores deixou de ser simples a muito tempo. A Lei Complentar nº 123/2006 foi alterada pela LC nº 155/2016, assim devido sua complexidade oriento buscar informações com seu contador de confiança o mais breve possível.

Enfim, existem inúmeras outras alterações para o próximo ano, e cabe a você empresário estar ciente das mesmas, pois a contabilidade é apenas um agente intermediador, sendo o responsável pela geração das informações o contribuinte que responde ativa e passivamente pelos seus atos.

https://www.diariodoscampos.com.br/blog/informe-contabil

LEIA MAIS
Planejamento 2018 – Alterações Simples Nacional

Faltando pouco mais de 2 meses para o final do ano, é o momento ideal do empresário se reunir com sua equipe, seus colaboradores e sócios, solicitar informações a contabilidade e ao financeiro e alinhar o planejamento do próximo ano.

Se o ano de 2017 foi conturbado no meio político com escândalos de corrupção, cabe ao empresário tomar decisões baseadas em informações contábeis para planejar antes de executar e uma coisa é fato, teremos aumento de carga tributária. Primeiramente pelo fim da isenção de ISS para Microempresas, já aprovado pela maioria dos munícipios pois a Lei Federal já está aprovada.

Mas as alterações no Simples Nacional para 2018 estão como principal objeto de estudo das empresas contábeis, analisando e informando seus clientes que a atual forma de cálculo irá mudar drásticamente, assim caso você empresário ainda não conversou com seu contador, este é o momento.

No cenário político, além das reformas já aprovadas, trabalhista e política, ainda teremos a previdenciária e a tributária, que muitos estudiosos políticos acham que não sairá do papel devido à crescente onda de problemas que o governo atual vem passando.

Mais uma vez, o lado que mais sente a crise é o contribuinte e o pequeno empresário, e cabe ao mesmo se adaptar e se reinventar, buscando alternativas de crescimento sustentável.

http://www.diariodoscampos.com.br/blogs/informe-contabil/2017/10/planejamento-2018-alteracoes-simples-nacional-e/56774/

LEIA MAIS
Por que a opinião do cliente é tão importante para os escritórios contábeis?

Por que a opinião do cliente é tão importante para os escritórios contábeis? – Fenacon

Muitas vezes negligenciada a opinião do cliente é uma das maiores riquezas de um escritório contábil

Cada Departamento de um escritório contábil é uma extensão da empresa dos clientes e para conseguirmos melhorar constantemente nossa agilidade e qualidade no atendimento das demandas das empresas que atendemos, não há nada mais importante do que conhecer a opinião dos clientes. Mais do que isso, saber a verdadeira opinião!
Portanto, peça ao seu cliente sempre que ele concluir uma solicitação em qualquer um dos canais de atendimento que o seu escritório contábil utilize (Central de Atendimento Online, E-mail, WhatsApp, etc.), que seja feita a avaliação do atendimento que lhe foi prestado, levando em conta única e exclusivamente o atendimento específico da solicitação que está sendo avaliada, e não, a avaliação geral que o cliente possui dos serviços prestados pelo seu escritório ou a opinião geral dele sobre o colaborador responsável pelo atendimento.Você sabe qual é a pior resposta possível que um cliente pode nos dar?

A pior resposta é:               .

Não conseguiu entender? É essa aqui:               .

Ainda não!? Vou tentar novamente:                .

Complicou, né!? É assim que ficamos e nos sentimos quando um cliente não emite nenhuma opinão, seja ela positiva ou negativa, sobre o nosso atendimento. Sem o feedback do cliente, aumenta a nossa dificuldade dos gestores para visualizar com transparência onde o escritório contábil está acertando ou errando, o que não permite implementar alterações e melhorias nos processos internos e no relacionamento com os clientes.

Se nós não conseguirmos corrigir eventuais falhas existentes no nosso atendimento, concorda que o cliente e a sua empresa serão os maiores prejudicados? Por isso é tão importante sabermos a verdadeira opinião dos nossos clientes!

Para que um escritório contábil possa atender seus clientes com o máximo de excelência e eficiência, é essencial ouvir constantemente os relatos sobre como está sendo a experiência deles.
Fique atento(a)!

Rodrigo Ferreira Gerente Marketing

LEIA MAIS
Produtor Rural – Atenção às Novas Regras para 2018

A partir de 1º de Janeiro de 2018, todas as operações interestaduais de produtores rurais deverão ser realizadas com a Nota Fiscal de Produtos Rural Eletrônica (NFP-e) substituindo assim o formulário em papel modelo A4, conforme Ajuste SINIEF 007/2009.

Cabe assim o produtor rural procurar orientações do seu contador, afim de antecipar a exigência e se adaptar ás novas operações.

A emissão da nota eletrônica se dará pelo site da Fazenda Estadual, mediante cadastro prévio de usuário do Receita/PR, que em breve disponibilizará o serviço. Não será necessário possuir certificado digital, pois a mesma será assinada com o Certificado da Coordenação da Receita do Estado (CRE). Cabe salientar que a NFP-e é um documento fiscal eletrônico sendo apenas digital, que deverá ser armazenado eletronicamente.

Assim verifica-se a importância de se adaptar o mais breve possível ás novas exigências evitando assim penalidades previstas pelos fiscos estaduais. Nas operações internas, o produtor poderá continuar utilizando a nota de produtor rural modelo A4.

http://www.diariodoscampos.com.br/blogs/informe-contabil/2017/09/produtor-rural-atencao-as-novas-regras-para-2018/56458/

 

LEIA MAIS
Relator da reforma tributária apresenta os principais pontos da proposta

O deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) apresentou nesta terça-feira (22) uma minuta de sua proposta para reforma tributária, que está sendo discutida em comissão especial da Câmara dos Deputados.

A intenção é aprovar uma proposta de emenda à Constituição (PEC) nos próximos meses, a fim de reestruturar o sistema tributário brasileiro.

Relator da proposta, Hauly vem discutindo o tema desde fevereiro. Ele disse que a ideia é simplificar o atual sistema, permitindo a unificação de tributos sobre o consumo e, ao mesmo tempo, reduzindo o impacto sobre os mais pobres.

Outro objetivo é aumentar gradativamente os impostos sobre a renda e sobre o patrimônio e melhorar a eficácia da arrecadação, com menos burocracia.

Hauly disse ainda que as mudanças visam a uma “reengenharia” do sistema tributário, com impacto até maior do que o ocorrido com o Plano Real (1994). “Isso vai representar mais da metade da solução da economia brasileira. Se o Brasil não crescer, não haverá receita”, afirmou.

Neste primeiro momento, a minuta contempla apenas alterações constitucionais. Uma vez aprovada a proposta de alteração da Constituição, ele calcula que seriam necessários de 10 a 11 projetos pata regulamentar o novo sistema tributário.

Extinção de tributos

A minuta delineia as mudanças, que incluem a extinção de 10 tributos (IPI, IOF, CSLL, PIS/Pasep, Cofins, Salário-Educação, Cide-Combustíveis, todos federais, ICMS estadual e o Imposto sobre Serviços (ISS municipal). No lugar deles seria criado um imposto sobre o valor agregado de competência estadual, chamado de Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS), e um imposto sobre bens e serviços específicos (Imposto Seletivo), de competência federal.

O IBS seria criado nos moldes do que existe em países industrializados, e sem tributar medicamentos e alimentos. Como será de competência estadual, mas com uma única legislação federal, o deputado propõe que a arrecadação seja administrada por uma associação de fiscos estaduais.

Hauly afirmou que o IBS, que será cobrado no destino da mercadoria ou serviço, redireciona a economia para “trilhos já testados”. “Não criei nada, não inventei nada”, afirmou.

Seletivo
O Imposto Seletivo incidirá sobre produtos específicos, como petróleo e derivados; combustíveis e lubrificantes; cigarros; energia elétrica e serviços de telecomunicações.

Segundo Hauly, uma lei complementar definirá quais os produtos e serviços estarão incluídos no Imposto Seletivo. Sobre os demais produtos, incidirá o IBS estadual.

Imposto de Renda (IR) é mantido na minuta na esfera federal, bem como o ITR, que onera a propriedade rural. Hauly afirmou que o IR vai incorporar a CSLL, e por isso terá suas alíquotas ampliadas.

Além da fusão ou extinção de tributos, a minuta altera as competências tributárias da União, estados, Distrito Federal e municípios (veja tabela).

Para evitar perdas de arrecadação para alguns entes federados, Hauly propõe a criação de dois fundos, que vão compensar eventuais disparidades da receita per capita entre estados e entre municípios.

Durante a reunião, o presidente da comissão especial, deputado Hildo Rocha (PMDB-MA), anunciou que o colegiado está aberto à discussão. Um e-mail (ce.reformatributaria@camara.leg.br) foi disponibilizado para receber sugestões da sociedade nos próximos 15 dias.

Confira como foi a audiência pública no canal oficial da Câmara dos Deputados no Youtube

Reportagem – Janary Júnior
Edição – Regina Céli Assumpção

Fonte: Agência Câmara Notícias

LEIA MAIS